O ENEM

O Exame Nacional do Ensino Médio será realizado nos dias 3 e 4 de Novembro.
No dia 3 de Novembro, o primeiro dia de exames, serão aplicadas as provas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Ambas as provas terão 45 questões cada, totalizando as 90 questões do dia. O participante terá 4 horas e meia para finalizar a prova.

No segundo dia serão aplicadas as provas de Matemática e suas Tecnologias e Linguagens, Códigos e suas tecnologias. Cada prova terá 45 questões, totalizando 90 questões. Além das provas objetivas, o participante terá de fazer uma redação do gênero dissertativo-argumentativo. O participante terá 5 horas e meia para finalizar a prova, incluindo a redação.

A prova de história faz parte do exame do primeiro dia de ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) e é incluída na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias. Para ir bem e resolver as questões de História com facilidade o candidato precisa estar por dentro de acontecimentos atuais e aprender a relacioná-los com contextos históricos.

Assuntos como a história da implantação da República no Brasil, Getúlio Vargas, Idade Média, Escravidão, Revolução Industrial e Guerra Fria costumam aparecer no exame. Sobre a história do Brasil os períodos que caem com mais frequência são: Brasil Colônia, República, Era Vargas e Regime Militar. Veja mais detalhes de cada período.

Período Colonial Brasileiro

O período colonial é marcado pelos anos de 1500 e 1822 e é delimitado por acontecimentos como o descobrimento do Brasil e o domínio político e socioeconômico de Portugal. O Brasil Colônia for marcado por inúmeras atrocidades, como escravidão e a venda ou troca de negros e índios. O período é compreendido por alguns ciclos como Ciclo do Pau-Brasil (1500 e 1530), Ciclo do açúcar (1530 até século XVII) e Ciclo do Ouro (século XVIII).

A República

A República no Brasil compreende todo o período entre 1889 e 1930. Este período recebeu o nome de República Velha. Na República Brasileira passaram pelo governo muitos militares com perfis ditatoriais, tendo como oposição o governo dos monarquistas, dos civis e das oligarquias.

Os principais acontecimentos desse período são: Revolta da Armada (1893-1894), Revolução Federalista (1893-1895), Guerra de Canudos (1893-1897), Revolta da Vacina (1904), Revolta da Chibata (1910), Guerra do Contestado (1912-1916), Sedição de Juazeiro (1914), Greves Operárias (1917-1919), Revolta dos Dezoito do Forte (1922), Revolução Libertadora (1923) e Revolução de 1930 (1930).

Era Vargas

Com a Revolução de 1930, a Republica Velha termina e Getúlio Vargas é colocado para governar, provisoriamente. Conhecido com a Era Vargas, o poder provisório de Getúlio Vargas se estende por um período de 15 anos. Uma das características de seu governo foi o perfil nacionalista.

Considerado o “pai dos ricos e mãe dos pobres”, Vargas soube agradar tanto a elite como ao proletariado. Para favorecer a elite, implantou o Estado Novo e para o proletariado criou a Justiça do Trabalho, em que havia direitos como salário mínimo, décimo terceiro salário e auxilio desemprego além da criação das leis trabalhistas.

Foi durante seu período de governo que foi promulgada a Constituição de 1934. Em 1945, Getúlio Vargas foi deposto de seu cargo pelos militares, e assim deu-se o fim da Era Vargas.

Regime Militar no Brasil

O início do Regime Militar no Brasil se dá em 1964 quando o presidente João Goulart é deposto. Durante todo o período do Regime Militar, “mãos de ferro” passaram pelo governo. Os generais que assumiram o poder foram: Castello Branco, Costa e Silva, Governo da Junta Militar, Geisel e Figueiredo.

Vários problemas surgiram durante o governo militar e ao final do Regime o aumento da inflação e da recessão são pontos marcantes.
Enquanto a economia do país estava defasada, a oposição fortaleceu os sindicatos e começou a ganhar força e espaço na política.

Em 1984, houve o movimento das Diretas Já, onde a oposição, artistas, políticos, jogadores de futebol e milhões de cidadãos brasileiros marcaram presença para reivindicar o direito de escolha do representante na política. A Ementa Dante de Oliveira não foi aceita pela Câmara e não houve eleições.
O fim da Ditadura Militar se deu em 1985 quando o Colégio Eleitoral, através de votos, elegeu como novo presidente da República, Tancredo Neves.

[Ache os cursos e faculdade ideais para você!]